Acesso à Atividade de Intermediário de Crédito (Vinculado)

''Estes profissionais atuam como mediadores das relações que se estabelecem entre particulares e instituições de crédito. Por se tratar de uma atividade com elevado grau de complexidade e de enorme responsabilidade, o exercício da atividade de Intermediário de Crédito só é permitida aos profissionais que demonstrem o cumprimento de várias exigências legais.''
intermediário de crédito
Num cenário económico em que as transações financeiras se tornam cada vez mais complexas, a figura do Intermediário de Crédito desempenha um papel absolutamente essencial na assistência a consumidores.

Estes profissionais atuam como mediadores das relações que se estabelecem entre particulares e instituições de crédito. Por se tratar de uma atividade com elevado grau de complexidade e de enorme responsabilidade, o exercício da atividade de Intermediário de Crédito só é permitida aos profissionais que demonstrem o cumprimento de várias exigências legais.

Neste artigo, iremos explorar os requisitos de acesso à atividade, que se encontram previstos no Regime Jurídico do Intermediário de Crédito, regulado pelo Decreto-Lei n.º 81-C/2017, de 7 de julho.

1. Autorização do Banco de Portugal

Este é, sem margem para dúvidas, o ponto mais importante a considerar. Qualquer intermediário de crédito, está sujeito à supervisão do Banco de Portugal. E, como tal, nenhuma organização pode promover ou desenvolver a atividade sem que a entidade máxima de supervisão autorize o seu exercício.

Esta autorização é emitida depois de uma apreciação rigorosa por parte do Banco de Portugal, que concluí que o candidato demonstra cumprir todos os requisitos legais previstos no diploma que regula a atividade.

Infelizmente, continuam a existir entidades que, não estando autorizadas para o efeito, divulgam ilegalmente serviços que estão impedidas de prestar. Por essa razão, sempre que recorrer a um Intermediário de Crédito, e tiver dúvidas acerca da sua legitimidade, peça o link de acesso ao registo junto do Banco de Portugal.

2. Quem pode ser Intermediário de Crédito?

Esta atividade pode ser exercida por particulares ou empresas com sede em Portugal ou em qualquer Estado-Membro da União Europeia, desde que devidamente autorizadas.

Se a entidade estiver sediada num Estado-Membro da União Europeia, a autorização deve ser concedida pelo Estado-Membro de origem e não pela entidade de supervisão nacional.

Se o particular ou empresa tiver sede em Portugal, a emissão da autorização, deve ser apreciada e concedida pelo Banco de Portugal. Nesse caso, essencialmente, o candidato deve demonstrar que:

a) É maior de idade;

b) Tem conhecimentos e competências técnicas em matéria de contratos de crédito;

c) Dispõe de uma organização comercial e administrativa adequada (meios informáticos, estabelecimento comercial ou canais digitais e arquivo próprio);

d) É titular de um seguro de responsabilidade civil profissional, que assegura eventuais danos resultantes de um exercício negligente da atividade profissional;

e) Tem contrato de vinculação com um mutuante ou conjunto de mutuantes;

3. Quais os conhecimentos e competências técnicas que um Intermediário de Crédito deve demonstrar?

Um candidato a Intermediário de Crédito deve dominar várias temáticas, nomeadamente, a legislação aplicável aos contratos de crédito, as características dos vários produtos de crédito, o funcionamento dos processos de aquisição de imóveis, o funcionamento do mercado de crédito, a avaliação de solvabilidade dos clientes bancários, ética empresarial, noções de economia e finanças, entre outras matérias  com total relevância para o exercício da atividade.

Estas competências podem ser demonstradas através da apresentação de certificados de formação profissional na área da Intermediação de Crédito, Comercialização de Crédito aos Consumidores e/ ou Comercialização de Crédito Hipotecário. Sendo que, esta formação deve ser ministrada por entidades formadoras reconhecida no âmbito do Sistema Nacional de Qualificações e certificadas pelo Banco de Portugal.

Em alternativa, pode ser apresentado diploma de técnico superior profissional, ou de formação de nível pós-secundário conferente de diploma, cujo plano de estudos inclua os conteúdos mínimos obrigatórios.

4. O que é um Contrato de Vinculação?

O contrato de vinculação é o protocolo que o Intermediário de Crédito celebra com os mutuantes (bancos) com quem pretende estabelecer uma relação de parceria, atuando em seu nome e sob a sua responsabilidade total e incondicional. É através deste instrumento que a relação entre Intermediário de Crédito e entidade bancária é regulada. Nos contratos de vinculação encontramos elementos como a remuneração devida ao intermediário e as formas como é determinada, bem como a indicação dos serviços a prestar, os deveres de informação, entre outras obrigações assumidas pelas partes.

Como vê, o acesso à atividade de Intermediário de Crédito pode revelar-se complexo, uma vez que está sujeito à verificação de requisitos que são rigorosamente apreciados. Apesar disso, o facto de o acesso a esta atividade estar, de alguma forma, condicionado à verificação de determinadas exigências, tem uma enorme vantagem.  

Estas exigências, traduzem-se no reforço da garantia da qualidade dos serviços prestados aos consumidores e clientes bancários. Quem pretende ingressar nesta atividade deve estar preparado para isso mesmo: para dar resposta aos mais altos padrões de exigência e ética profissional.

Mais Recursos: 

Acesso à atividade de intermediário de crédito | Portal do Cliente Bancario (bportugal.pt)

Saiba mais sobre o nosso trabalho na ius-fidem. 

Picture of Por Catarina S. Gonçalves, Gestora de Crédito

Por Catarina S. Gonçalves, Gestora de Crédito

Coloque as suas Dúvidas

Fale com um especialista

Picture of Catarina Gonçalves

Catarina Gonçalves

Especialista em Crédito Habitação

Outros artigos

bonificado

Crédito Habitação Bonificado a Pessoas com Deficiência

” O Crédito Habitação Bonificado a pessoa com deficiência é uma linha de crédito sujeita a um regime especial, que determina a atribuição de condições mais vantajosas a pessoas que demonstrem ter uma incapacidade superior a 60%. Ao abrigo deste regime, os portadores de deficiência têm a possibilidade de contratar uma taxa de juro bonificada, desde que cumpridos determinados requisitos. ”

amortizaçao

Investir ou optar pela Amortização do Crédito Habitação?

”Não há nenhum especialista em finanças pessoais que negue a importância de reduzirmos o nosso nível de endividamento. É inegável que um menor nível de endividamento significa uma melhor saúde financeira. Mas será que sempre que tem capital disponível deve ter como prioridade a amortização de um crédito, nomeadamente, o crédito habitação?”

simplex

Simplex Urbanístico: Uma via verde ao licenciamento?

” … o Simplex Urbanístico é composto por um conjunto de 26 medidas que pretendem simplificar, modernizar e inovar os serviços administrativos do Estado. Logo, com as alterações nas regras do licenciamento de obras e na reclassificação dos solos, os custos com vários processos irão sofrer alterações e ficar tendencialmente mais baixos, o que se pode afigurar como uma ajuda no acesso à habitação … ”

crédito hipotecário

Crédito Hipotecário: O que é e para que serve?

”As operações de crédito hipotecário tem um enorme potencial e podem servir as mais diversas finalidades. (…) Pode sempre contar com prazos mais alargados e taxas de juro mais baixas, face ao crédito ao consumo.”

férias

Contrato de Trabalho a tempo Parcial: Regime de férias

” … o direito a férias é um direito irrenunciável, e como tal, não pode ser substituído por qualquer compensação económica ou outra, salvo nos casos previstos na lei (…) Assim, se possui um contrato a tempo parcial deverá ter atenção ao presente artigo.”

hipoteca

Hipoteca sobre o meu imóvel. O que significa?

”É inegável que os imóveis, apesar de sujeitos a uma certa volatilidade no que respeita ao preço, estão associados a uma tendencial valorização pelo mero decurso do tempo. Essa circunstância faz das garantias hipotecárias ou imobiliárias as mais sólidas e aliciantes.”

intermediário

Contratar um Intermediário de Crédito? Gratuitamente?

”Pode acreditar que, para além dos próprios bancos, não há entidade nenhuma que conheça tão bem a oferta das várias instituições bancárias, como os intermediários de crédito parceiros. As relações de parceria que os Intermediários estabelecem com as várias instituições de crédito, permite-lhes ter acesso privilegiado a informação atualizada em relação aos detalhes específicos de cada produto de crédito.”

despedimento

Despedimento por Justa Causa: por facto imputável ao trabalhador

”O despedimento de um trabalhador é sempre uma decisão difícil. Seja por resolução do próprio ou por iniciativa do empregador.
Não basta que o trabalhador não cumpra as ordens emanadas pelo empregador, ou que tenha infringido alguma norma laboral.
Tem sim, que existir razões estipuladas no Código do Trabalho, que justifiquem a dispensa de um colaborador. ”

WOOK - www.wook.pt

Precisa de ajuda?

Preencha os seus dados e consulte o seu e-mail.

0%
Nome (primeiro e último) *
Telemóvel *
Email *
10%
Em que podemos ajudar?
Algum dos créditos é um crédito habitação?
Algum dos créditos é um crédito habitação?
30%
Quem vai pedir o empréstimo? *
90%
É efetivo?
Tem créditos?
Indique o valor das suas prestações mensais:
Crédito 1:
Crédito 2:
Crédito 3:
Crédito 4:
Tem incumprimentos no Banco de Portugal?
1º Proponente
É efetivo?
Tem outros créditos?
Indique o valor das Suas prestações mensais:
Crédito 1:
Crédito 2:
Crédito 3:
Crédito 4:
Tem incumprimentos no Banco de Portugal?
2º Proponente
É efetivo?
Tem outros créditos?
Indique o valor das Suas prestações mensais:
Crédito 1:
Crédito 2:
Crédito 3:
Crédito 4:
Tem incumprimentos no Banco de Portugal?

Precisa de ajuda?

Preencha os seus dados e receba um contacto por parte da nossa equipa:

Nome *
Telemóvel *
Email *

Subscreva a nossa Newsletter

Preencha os seus dados abaixo:

Nome (primeiro e último) *
Telemóvel *
Email *
Olá! Podemos ajudar?