Certificados de Aforro: Como calcular a rentabilidade?

Apesar da previsibilidade deste instrumento de poupança, muitos subscritores não sabem como calcular a sua rentabilidade. Neste artigo vamos explicar-lhe, passo a passo, como é apurada a rentabilidade líquida deste produto, para que saiba exatamente com o que deve contar.
rentabilidade

Os Certificados de Aforro destacam-se como uma escolha popular entre os Portugueses, que procuram máxima segurança e um retorno previsível dos seus investimentos. Em junho de 2023 o Governo decide anunciar o lançamento da nova série F, determinando um corte na rentabilidade deste produto. Os Certificados de Aforro passam assim a ter uma rentabilidade máxima de 2,5%, menos 1% em relação à série anterior.

Apesar da previsibilidade deste instrumento de poupança, muitos subscritores não sabem como calcular a sua rentabilidade. Neste artigo vamos explicar-lhe, passo a passo, como é apurada a rentabilidade líquida deste produto, para que saiba exatamente com o que deve contar.

Taxa Aplicável e Valor Base

Em primeiro lugar, deve ter em consideração que a série F, prevê um limite máximo de rentabilidade de 2,5%.  Mas pode gerar uma rentabilidade inferior, se a Euribor a 3 meses, atingir uma percentagem menor. Neste momento, a Euribor a 3 meses está fixada em valores superiores, pelo que os Certificados de Aforro desta série continuam a gerar a rentabilidade máxima prevista. Por isso, vamos utilizar a taxa de 2,5% para lhe explicar que cálculos deve fazer para apurar a rentabilidade do seu certificado (série F).

A taxa aplicável (de 2,5%) vai incidir sobre um valor base, que será o valor da sua subscrição. Neste caso em particular e para facilitar a exposição, vamos imaginar que subscreve 5.000 unidades, que equivale ao valor de 5.000€ em Certificados de Aforro.

Resultado do 1.º Trimestre

Estes são os elementos que precisamos para apurar quanto é que pode ganhar no primeiro trimestre com uma subscrição de 5.000€ em Certificados de Aforro, a uma taxa de 2,5%. 

Ora, se a sua subscrição é igual a 5.000€ e a taxa de rentabilidade é de 2,5% o cálculo que deve fazer é o seguinte:

5.000€ * 2,5% =

= 125€ / 4 =

= 31,25€ – 28% =

= 22,5€

Por esta altura deve estar a fazer pelo menos 2 perguntas:

  1. Porque é que dividimos por 4?
  2. Porque é que subtraímos 28%?

Repare que aplicamos a taxa máxima de 2,5% ao valor da subscrição. O que gerou um resultado de 125€. Existem duas razões que justificam a necessidade de dividir este valor por quatro. A taxa de 2,5% é uma taxa anual e vence juros a cada três meses. Por isso, de quatro em quatro meses vai receber o proporcional dos juros, em relação ao ano. Esse proporcional resulta assim no valor de 31,25€. No entanto, não será este o valor a receber no primeiro trimestre. O que nos leva à segunda pergunta.

Qual é a razão para a dedução dos 28%? Simples. É que a taxa de rentabilidade é uma taxa anual bruta, o que significa que ao valor apurado tem de deduzir a percentagem relativa à taxa de imposto a pagar (= 28%). Não precisa de declarar no IRS uma vez que os juros são creditados na sua conta aforro líquidos de impostos.

E assim chegamos ao resultado de 22,5€.

Resultado do 2.º Trimestre

Também pode estar a perguntar-se se é este o valor que vai receber nos trimestres seguintes. A resposta é negativa. Vai receber mais. A razão é simples e tem nome: ‘’Capitalização de Juros’’. 

Na prática, com a capitalização de juros, o resultado líquido de 22,5€ vai ser somado ao seu capital. Por isso no próximo trimestre o valor base não serão os 5.000€ de subscrição inicial, mas sim os 5.022,50€, o que resultará numa rentabilidade necessariamente superior. Ou seja,

5.022,50€ * 2,5% =

= 125,56€ / 4 =

= 31,39€ – 28% =

= 22,60€

Pode utilizar esta fórmula para calcular os ganhos potenciais dos trimestres seguintes. Mas nunca se esqueça de alterar o valor base e, se for caso disso, a taxa de rentabilidade.

Lembramos que neste exemplo foi considerada a taxa máxima de 2,5%. Como já referimos acima, a taxa aplicável pode sofrer alterações dependendo das variações da taxa Euribor a 3 meses em vigor.  Pode acompanhar a evolução da taxa Euribor a 3 meses aqui.

Picture of Por Catarina S. Gonçalves, Gestora de Crédito

Por Catarina S. Gonçalves, Gestora de Crédito

Coloque as suas Dúvidas

Outros artigos

experimental

O Regime Jurídico do Período Experimental

”O período experimental ou também designado período de prova, corresponde ao tempo inicial de execução do contrato de trabalho, durante o qual as partes apreciam o interesse na sua manutenção. Ou seja, é um período de prova em que ambas as partes se avaliam e avaliam as suas expectativas relativamente àquela nova relação contratual.”

bonificado

Crédito Habitação Bonificado a Pessoas com Deficiência

” O Crédito Habitação Bonificado a pessoa com deficiência é uma linha de crédito sujeita a um regime especial, que determina a atribuição de condições mais vantajosas a pessoas que demonstrem ter uma incapacidade superior a 60%. Ao abrigo deste regime, os portadores de deficiência têm a possibilidade de contratar uma taxa de juro bonificada, desde que cumpridos determinados requisitos. ”

amortizaçao

Investir ou optar pela Amortização do Crédito Habitação?

”Não há nenhum especialista em finanças pessoais que negue a importância de reduzirmos o nosso nível de endividamento. É inegável que um menor nível de endividamento significa uma melhor saúde financeira. Mas será que sempre que tem capital disponível deve ter como prioridade a amortização de um crédito, nomeadamente, o crédito habitação?”

simplex

Simplex Urbanístico: Uma via verde ao licenciamento?

” … o Simplex Urbanístico é composto por um conjunto de 26 medidas que pretendem simplificar, modernizar e inovar os serviços administrativos do Estado. Logo, com as alterações nas regras do licenciamento de obras e na reclassificação dos solos, os custos com vários processos irão sofrer alterações e ficar tendencialmente mais baixos, o que se pode afigurar como uma ajuda no acesso à habitação … ”

intermediário de crédito

Acesso à Atividade de Intermediário de Crédito (Vinculado)

”Estes profissionais atuam como mediadores das relações que se estabelecem entre particulares e instituições de crédito. Por se tratar de uma atividade com elevado grau de complexidade e de enorme responsabilidade, o exercício da atividade de Intermediário de Crédito só é permitida aos profissionais que demonstrem o cumprimento de várias exigências legais.”

crédito hipotecário

Crédito Hipotecário: O que é e para que serve?

”As operações de crédito hipotecário tem um enorme potencial e podem servir as mais diversas finalidades. (…) Pode sempre contar com prazos mais alargados e taxas de juro mais baixas, face ao crédito ao consumo.”

férias

Contrato de Trabalho a tempo Parcial: Regime de férias

” … o direito a férias é um direito irrenunciável, e como tal, não pode ser substituído por qualquer compensação económica ou outra, salvo nos casos previstos na lei (…) Assim, se possui um contrato a tempo parcial deverá ter atenção ao presente artigo.”

WOOK - www.wook.pt

Precisa de ajuda?

Preencha os seus dados e consulte o seu e-mail.

0%
Nome (primeiro e último) *
Telemóvel *
Email *
10%
Em que podemos ajudar?
Algum dos créditos é um crédito habitação?
Algum dos créditos é um crédito habitação?
30%
Quem vai pedir o empréstimo? *
90%
É efetivo?
Tem créditos?
Indique o valor das suas prestações mensais:
Crédito 1:
Crédito 2:
Crédito 3:
Crédito 4:
Tem incumprimentos no Banco de Portugal?
1º Proponente
É efetivo?
Tem outros créditos?
Indique o valor das Suas prestações mensais:
Crédito 1:
Crédito 2:
Crédito 3:
Crédito 4:
Tem incumprimentos no Banco de Portugal?
2º Proponente
É efetivo?
Tem outros créditos?
Indique o valor das Suas prestações mensais:
Crédito 1:
Crédito 2:
Crédito 3:
Crédito 4:
Tem incumprimentos no Banco de Portugal?

Precisa de ajuda?

Preencha os seus dados e receba um contacto por parte da nossa equipa:

Nome *
Telemóvel *
Email *

Subscreva a nossa Newsletter

Preencha os seus dados abaixo:

Nome (primeiro e último) *
Telemóvel *
Email *
Olá! Podemos ajudar?